Siga-nos por Email

10 de julho de 2011

Poesia


Eis que outro mote me chega

Estudantes na DIRED
Mesmo sem água e sem luz
Eis as glosas:

I
Já está perto de um mês
Que a ocupação foi feita
O Governo não respeita,
Não conversa, Não dá vez...
Com base em não sei que leis
Um juiz que não fez jus
Aos poderes que conduz
Despeja, mas ninguém cede
Estudantes na DIRED
Mesmo sem água e sem luz

II
Protesto é cidadania
Porém o governo alopra,
Rosalba "Morde e assopra"
Acena e não negocia
Corta a água, a energia,
Corta o diálogo e reduz
As chances de quem conduz
A greve, deixar a sede
Estudantes na DIRED
Mesmo sem água e sem luz

III
Gesto ditatorial,
É tabefe em vez de beijo
Em vez de afago, despejo,
Sentença judicial,
Repressão policial,
Coturnos e brucutus...
Quanto mais mexe, o cuscuz,
Mais fica azedo e mais fede
Estudantes na DIRED
Mesmo sem água e sem luz

IV
A UERN está mais triste
Nem parece academia
Porque sua autonomia
Financeira não existe.
Essa turma que resiste
Lá na DIRED, traduz
Entre a espada e a cruz
O que todo mundo pede
Estudantes na DIRED
Mesmo sem água e sem luz!

(Autor: Crispiniano Neto crispinianoneto@gmail.com)

Nenhum comentário:

Postar um comentário